quinta-feira, 4 de março de 2021

PM acusado de estuprar e matar Zaira Cruz vai a júri popular, decide juiz


Sargento da PM, Pedro Inácio Araújo de Maria está preso na sede do Comando Geral da Polícia Militar, em Natal, desde o dia 15 de março de 2019. (relembre o caso) Na decisão, o juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça também negou o pedido de liberdade feito pela defesa do réu. Zaira foi encontrada dentro de um carro, após ser morta por asfixia, no dia 2 de março de 2019, (relembre o caso) durante o carnaval de Caicó. Na época, a jovem, natural de Currais Novos, tinha apenas 22 anos.


O juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça decidiu mandar a julgamento popular, o policial militar, Pedro Inácio Araújo de Maria. A decisão de pronúncia saiu na tarde desta quinta-feira (04). O PM é acusado de ter matado asfixiada a universitária Zaira Dantas Silveira Cruz, no dia 2 de março de 2019, durante o carnaval, na cidade de Caicó. Na época, a jovem, que era natural de Currais Novos, tinha apenas 22 anos.

Na mesma decisão, o juiz manteve o réu preso negando pedido de liberdade feito pela defesa. Em dezembro de 2020 os advogados do réu, que está preso na sede do Comando Geral da Polícia Militar, em Natal, contrataram uma perícia particular pedindo a exumação do corpo da jovem, a fim de gerar dúvidas sobre as provas obtidas durante a investigação do caso, que apontam Pedro como autor do crime. Eles também entraram com um pedido de habeas corpus, para que o réu respondesse ao processo em liberdade. Ambos foram negados, também, pelo juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça.

Pedro Inácio foi pronunciado por homicídio com quatro qualificadora: meio cruel – asfixia, tentativa de ocultar o crime, feminicídio, além do estupro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

teste teste