quarta-feira, 12 de junho de 2019

RN tem segundo pior déficit na região nordeste


O Rio Grande do Norte apresentar o segundo maior déficit no Regime Próprio da Previdência Social no primeiro quadrimestre do ano dentre os nove estados da Região Nordeste. O levantamento foi divulgado pelo portal G1, com base em dados dos Relatórios Resumidos de Execução Orçamentária (RREO), referentes ao segundo bimestre de 2019 e levantados junto aos governos de 24 dos 27 estados do  país.

Entre janeiro e abril, o RN teve um rombo de R$ 877,56 milhões no sistema próprio de aposentadorias e pensões dos servidores públicos. Na região, a situação é pior apenas na Bahia, com rompo de R$ 1,179 milhões nos quatro meses.

Em relação ao Brasil, o Rio Grande do Norte aparece em oitavo lugar dentre os estados que tiveram maior déficit previdenciário, que é a diferença entre os valores arrecadados de contribuição dos servidores ativos e inativos e o  que é pago aos aposentados e pensionistas.

Segundo o G1, o rombo da previdência social nos Estados, no primeiro quadrimestre deste ano, foi de R$ 20,7 - um crescimento de 15% em relação ao mesmo período do ano passado. Minas Gerais é o estado com maior déficit previdenciário do país, chegou a R$ 5,45 bilhões, seguido do Rio Grande do Sul, com déficit de R$ 3,86 bilhões em apenas quatro  meses do ano.

O site G1 divulgou, ainda, relatório do Instituto Fiscal Independente (IFI) aponta que o  déficit das previdências estaduais até 2060, deve ser quatro vezes mais do que o de 2013, caso não seja feita nenhuma reforma previdenciária. “Esse déficit aumentaria 3,8% ao ano, em média, em termos reais até 2050 ou 53,% e 4,3% até 2030 e 2040, respectivamente”, indica o relatório.

O relator da reforma previdenciária que foi enviada em fevereiro pelo Governo Federal à votação na Câmara Federal, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), deve apresentar o relatório sobre a PEC nesta quinta-feira (13). Um dos pontos em discussão é a retirada ou manutenção dos servidores dos estados e municípios da reforma.

Somente três estados informaram que tiveram superávit previdenciário entre janeiro e abril: Amapá, Rondônia, na região Norte e Tocantins, na região Centro-Oeste. Já o Distrito Federal e os estados de Roraima, no Norte e Piauí, na região Nordeste, não divulgaram os dados previdenciários.

A reforma da previdência tramita desde fevereiro na Câmara dos Deputados, cujo presidente, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), reafirmou, ontem, que os deputados ligados aos governadores que defendem a reforma da Previdência (PEC 6/19) precisam se posicionar favoravelmente ao texto.

Veja os déficits das Previdências estaduais.

Valores em milhões de R$

REGIÃO NORTE
Amazonas: -286,40 
Acre: -156,96
Pará: -0,35
Rondônia: 43,67
Amapá: 439,55

REGIÃO NORDESTE 
Bahia: -1.179,27
Rio Grande do Norte: -877,56
Sergipe: -478,16
Alagoas: -408,91
Ceará: -349,81
Maranhão: -244,78
Pernambuco: -1,82
Paraíba: -0,41

REGIÃO SUDESTE 
Minas Gerais: -5.454,76
Rio de Janeiro: -1.886,00
Espírito Santo: -542,31

REGIÃO CENTRO-OESTE 
Goiás: -1.313,06
Mato Grosso do Sul: -462.59
Mato Grosso: -276,45
Tocantins: 34,99

REGIÃO SUL:
Rio Grande do Sul: -3.861,48
Santa Catarina: -1.409,32
Paraná: -2.024,39
São Paulo: -6,93

Fonte – G1/Governos dos Estados 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

teste teste