terça-feira, 28 de agosto de 2018

Em meio a embate popular, Câmara de Vereadores aprova projeto que proíbe discussão de gênero nas escolas de Santa Cruz



Em meio a um dos maiores embates ideológicos da história do Legislativo santa-cruzense, os vereadores aprovaram por seis votos a favor, dois contrários e uma abstenção o Projeto de Lei que proíbe a discussão de gênero nas escolas em Santa Cruz.

A Câmara de Vereadores e o Calçadão do centro da cidade, onde fica a sede do Legislativo, ficaram tomados de pessoas. Grupos que foram mobilizados para ser a favor e contrários ao projeto.

De um lado, membros de igrejas, eleitores de partidos de direita, comerciantes e membros da sociedade civil em geral que era a favor do projeto.

Do outro lado, integrantes de grupos e associações de minorias, grupos LGBTs, professores e alunos universitários e sindicalistas contrários ao projeto e defendendo a discussão de gênero na escola.

O relator do projeto, vereador Thiago Fonseca, em seu parecer favorável a ação, afirmou que a constituição já assegura o direito a igualdade as pessoas e que inserir a discussão de gênero para crianças seria prejudicial a sua formação, conflitando interesses ideológicos e familiares.

Ao final, após muitos protestos dos grupos favoráveis e contrários, o projeto foi aprovado. Votaram a favor da proibição os vereadores Monik Melo, autor do projeto, Thiago Fonseca, Raimundo Fernandes, Ana Fabrícia Pontes, Mário Farias e Tarcísio Reinaldo. Os vereadores Paulo César Beju e João Victor foram contrários e o vereador Gean Paraibano se absteve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

teste teste