sábado, 25 de janeiro de 2020

Estudo aponta 1 morte e 131 infectados por esporotricose no RN; pesquisadores alertam para crescimento da doença


Uma pessoa morreu e pelo menos outras 131 já foram infectadas pela esporotricose - doença emergente provocada por fungos e transmitida por gatos - no Rio Grande do Norte desde 2016. Isso é o que indica um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Eles estão preocupados com o crescimento no número de pacientes e animais atingidos no estado.

Essa micose chegou em solo potiguar há cerca de cinco anos. Hoje, os pesquisadores alertam que o fungo, do gênero Sporothrix, tem se espalhado muito rápido por Natal e região metropolitana, principalmente Parnamirim, Extremoz e São Gonçalo. A doença também já foi encontrada em Santo Antônio.

A única morte no estado foi registrada em uma artesã de Parnamirim no ano de 2016. Ela contraiu a forma mais grave da doença, a pulmonar e, devido demora no diagnóstico, não resistiu. A probabilidade de óbito em humanos, no entanto, é baixa. Já nos animais, a esporotricose geralmente evolui para a morte, principalmente com a demora no início do tratamento.

A infectologista Evelin Pipolo, do Departamento de Infectologia da UFRN, foi responsável por diagnosticar o primeiro caso em humanos no estado, em outubro de 2016 - nos gatos, a confirmação aconteceu em 2015.

Segundo Pipolo, os pacientes infectados apresentam geralmente ferimentos visíveis devido a mordida ou arranhão de gatos. A infecção pode ocorrer também pelo contato do fungo na pele ou mucosa por meio de trauma decorrente de acidentes com espinhos, palha ou lascas de madeira e contato com vegetais em decomposição. Basta uma microlesão ou uma simples coçada de olho para o microrganismo se instalar.

Segundo o biomédico Thales Arantes, do Instituto de Medicina Tropical (IMT/UFRN), essa espécie de fungo causa lesões mais graves e se prolifera em menor tempo quando comparada a outras, principalmente nos animais. “É importante o controle da esporotricose porque com um gato doente no ambiente doméstico, muito provavelmente, você e/ou algum membro da família irão contrair esporotricose também. As chances são de pelo menos 70%. Por isso, quanto mais rápido o diagnóstico e início do tratamento, menor será a dispersão do fungo no ambiente”, afirma o pesquisador.

Tratamento:

Um dos fatores preocupantes é o desconhecimento sobre a doença, que pode retardar o diagnóstico - o período de incubação da esporotricose é variável, de uma semana a um mês, podendo chegar a seis meses após a entrada do fungo no organismo. O diagnóstico laboratorial dos casos humanos até o momento, tem sido realizado no laboratório da Faculdade de Farmácia da UFRN, no âmbito de um projeto de pesquisa.

Para a médica Eveline Pipolo, outra preocupação é em relação à garantia do tratamento. "A esporotricose é tratada com Itraconazol, medicamento relativamente caro para pessoas em vulnerabilidade social. Seu custo médio é de R$ 80 mensais, com um tempo de tratamento que varia de três a seis meses, podendo se estender por um ano”, explica.

Atualmente, o Ministério da Saúde tem fornecido o medicamento para o Departamento de Infectologia da UFRN, que funciona dentro do Hospital Giselda Trigueiro. Mas, para Pipolo, não é possível garantir que o fornecimento desse insumo continue por muito tempo se os casos aumentarem no estado.

Transmissão:

Para os especialistas, a maior dificuldade está no número de animais abandonados. Eles estimam que pelo menos 150 mil felinos estejam pelas ruas, o que dificulta na forma de evitar a proliferação da micose. Até agora, 117 gatos foram diagnosticados com a doença, de 195 amostras enviadas. "O controle da doença está intimamente ligado ao controle dos gatos”, reforçou Eveline Pipolo.

A esporotricose é semelhante a doenças como carcinomas e leishmaniose. Por isso, é recomendado que os tutores, ao perceberem lesões na pele dos animais, os levem imediatamente ao médico veterinário, ou em casos extremos ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município, para que seja feito o diagnóstico.

Os animais com suspeita da doença não devem ser abandonados. Caso o tutor não tenha condições de tratar o animal, ele deve procurar os CCZs. Animais em tratamento devem ficar isolados, geralmente em caixas ou espaços de contenção para evitar espalhar o fungo. A medicação precisa ser administrada via oral, o que, geralmente, acarreta traumas como arranhaduras ou mordidas.

No caso de morte dos animais, não se deve enterrar ou jogar no lixo, pois como algumas espécies de Sporothrix são mais geofílicas, ou seja, têm afinidade pelo solo, elas manterão ativo o ciclo da doença. O correto é a incineração do corpo do animal, de maneira a minimizar a contaminação do meio ambiente. O ambiente onde está ou esteve o animal contaminado também precisa ser desinfetado.

Segundo o Instituto Oswaldo Cruz, 65 pessoas no Brasil entre 1991 e 2015 morreram por causa da esporotricose - 36 só no Rio de Janeiro.

Por G1RN

Hospital Regional Mariano Coelho de Currais Novos receberá melhorias


A Governadora Fátima Bezerra assinou nesta última quarta-feira (22), contratos de obras na Rede Hospitalar do Rio Grande do Norte, com oito Hospitais do Estado sendo beneficiados e um deles foi o de Currais Novos com o valor de 1 milhão e 974 mil reais.

São recursos oriundos de emenda parlamentar coletiva da bancada federal do RN de 2018, quando a Governadora Fátima ainda era Senadora.

A partir de agora a Secretaria de Saúde do Estado junto com a Caixa Econômica darão andamento ao Convênio, Projetos, Licitação e Execução.

A obra está prevendo ampliar o Centro Cirúrgico (de 02 para 03 salas cirúrgicas, ampliar a sala de recuperação anestésica de 03 para 05 leitos), ampliar o Centro Obstétrico e Construir a Central de Material.

A população de Currais Novos agradece a Bancada Federal do RN, a Secretaria de Saúde do RN e a Governadora Fátima Bezerra, por ter optado pelo Hospital Regional Mariano Coelho.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Prazo para eleitor regularizar título termina em maio


Os cidadãos que tiveram o título de eleitor cancelado têm até o dia 6 de maio para regularizar a situação. Após o prazo, quem não estiver em dia com o documento, não poderá votar nas eleições municipais de outubro, quando serão eleitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios do país.

No ano passado, 2,4 milhões de títulos foram cancelados porque os eleitores deixaram de votar e justificar ausência por três eleições seguidas. Para a Justiça Eleitoral, cada turno equivale a uma eleição.
Para regularizar o título, o cidadão deve comparecer ao cartório eleitoral próximo a sua residência, preencher o Requerimento de Alistamento Eleitoral (RAE) e apresentar um documento oficial com foto. Além disso, será cobrada uma multa de R$ 3,51 por turno que o eleitor deixou de comparecer. O prazo para fazer a solicitação termina no dia 6 de maio, último dia para emissão do título e alteração de domicílio eleitoral antes das eleições.

Além de ficar impedido de votar, o cidadão que teve o título cancelado fica impedido de tirar passaporte, tomar posse em cargos públicos, fazer matrícula em universidades públicas, entre outras restrições.

A situação de cada eleitor pode ser verificada no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O primeiro turno será realizado no dia 4 de outubro. Se necessário, o segundo turno será no dia 25 do mesmo mês. Cerca de 146 milhões de eleitores estarão aptos a votar. 

Volume de chuvas no RN cresce 104,4% na primeira quinzena de 2020

Açude Dourado - Currais Novos/RN
A população do Rio Grande do Norte tem observado boas chuvas em todas as regiões do Estado neste início de ano e se prepara para um bom inverno, após um longo período de seca. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), o volume de chuvas, até o dia 15 deste mês, foi 104,4% superior ao esperado para o período.

A mesorregião Agreste foi a que registrou o maior percentual, onde choveu 69,5 mm, enquanto que era esperado um volume médio de 22,2 mm. Isso corresponde a um aumento de 212,9% no volume de chuva. Em seguida, a região com melhor índice foi a Central, com 58,8, quando o esperado era 28,7. O Estado teve média de 59,7 mm.

O balanço de chuvas da sexta-feira (17) e deste final de semana será publicado na próxima segunda-feira (20) pela Emparn. Fotos e vídeos divulgados em redes sociais mostram chuvas em várias cidades do Rio Grande do Norte e registram açudes como o Gargalheiras, em Acari, e o Dourado, em Currais Novos, recebendo boas quantidades de água. Esse último aumentou em 8 centímetros a lâmina de água com as chuvas da sexta-feira (7). Já a barragem Marechal Dutra (Gargalheiras) recebeu de sexta-feira (7) para o sábado (8) 1.514.916 metros cúbicos de água, o que corresponde a 3.41% da sua capacidade total que é de 44.421.480 m³. O reservatório estava completamente seco.

Para o inverno deste ano, a Emparn anunciou, na última quinta-feira (16), que a previsão deve ser normal ou acima do normal. Após seis anos de seca, entre 2012 e 2017, o Rio Grande do Norte pode ter seu terceiro ano consecutivo com boa quadra chuvosa. As águas que caíram no Estado em 2019, por exemplo, foram as melhores dos últimos sete anos.

A média de chuvas no Estado deve variar, a partir das previsões iniciais, entre 800 a 1.200 mm no inverno. Em 2019, essa média ficou entre 830 milímetros, segundo a Emparn.“Se nós tivermos o desenvolvimento das chuvas que estamos prevendo, normal acima do normal, poderemos ter uma recuperação sensível dos reservatórios. Em 2019, estávamos trabalhando com percentual de 40 a 45% e chegamos a 35%. Esse ano vamos trabalhar com 50% e esperamos chegar a 40% do manancial do Estado", disse Gilmar Bristot, chefe da Unidade de Meteorologia da Emparn. O Rio Grande do Norte é 93% caracterizado como semiárido.

Regiões mais chuvosas:
Oeste 52,7 mm - Central 58,8 mm - Agreste 69,5 mm - Leste 58,0 mm - Estado 59,7 mm

Governo Bolsonaro firma convênio de R$ 10 milhões em Parelhas para Centro Têxtil


O Ministério do Desenvolvimento Regional firmou convênio com a Prefeitura de Parelhas no valor de R$ 10 milhões. O recurso será destinado a construção de um Centro de Corte Têxtil que permitirá a expansão do Programa de Industrialização do Interior, o Pró-sertão. A contrapartida do município será de R$ 11 mil.

O convênio foi publicado no Diário Oficial da União da última quinta-feira (16). O contrato prevê a construção de um galpão industrial e a aquisição de máquinas e equipamentos para a implantação de um Centro de Corte Têxtil. Os recursos permitirão que o local seja equipado de modo semelhante as estruturas das gigantes do setor, como a Guararapes, por exemplo. 

O convênio havia sido articulado pelo ex-deputado federal Rogério Marinho ainda durante o governo Michel Temer. Mas, por questões burocráticas envolvendo a Prefeitura de Parelhas, só foram liberados agora na gestão Jair Bolsonaro, quando também contou com a influência de Rogério, atual secretário da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. 

O objetivo é que as pequenas oficinas de costura do interior potiguar possam atender a mais clientes de todas as regiões do país e, além disso, tenham condições de produzir marcas próprias para iniciar a comercialização. A obra será destinada a todas as oficinas de costura do Estado.

Conforme publicação, a Prefeitura de Parelhas tem prazo de 30 meses para apresentar os documentos necessários e obter a liberação dos recursos.

Colisão frontal entre dois carros na BR 226, em Jucurutu, deixa 3 mortos



 Aldo dos Santos Filho e Maria Ioderlândia Arruda 
Um acidente do tipo colisão frontal envolvendo dois carros, registrado na tarde deste domingo (19), na BR-226, já próximo a cidade de Jucurutu onde deixou pelo menos 3 pessoas mortas, sendo dois adultos e uma criança.

No local, que é distante cerca de 13 quilômetros da cidade de Jucurutu, um veículo Siena, colidiu com o Fox de cor branca e placas MOH3720.

O primeiro carro, era conduzido por Tomaz Magno da Silva, de 34 anos, que levava sua esposa, Ana Maria Bezerra de Medeiros e os filhos Raniere Tarcísio F. Silva (morto no local) e Artur Felipe. O casal e o segundo filho, foram socorridos e transferidos para Natal.

No segundo carro, estavam, Aldo dos Santos Filho e Maria Ioderlândia Arruda, que morreram carbonizados. Seus dois filhos, Aldo José dos Santos Neto e André Felipe, foram socorridos e transferidos para Natal.

Informação não oficial sobre o acidente dá conta que o condutor do veículo Siena, invadiu a faixa de contramão na tentativa de fazer uma ultrapassagem e colidiu com o carro de Aldo Filho.

Populares que passavam no local prestaram o socorro inicial às vitimas.

O Corpo de Bombeiros e Samu de Caicó, foram acionados e estiveram no local. As chamas foram contidas.

A Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Itep, estiveram no local para os levantamentos das informações.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Governo divulga aumento do piso salarial de professores do ensino básico, já previsto em lei de 2008


O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub anunciaram, nesta quinta-feira (16), em uma Live o aumento do piso salarial dos professores da educação básica em início de carreira, de R$ 2.557,74 para R$ 2.888,24. O aumento é de R$ 330,50.

O reajuste é previsto na chamada Lei do Piso (Lei 11.738), de 2008. Pela legislação, o piso salarial dos professores têm de ser atualizado anualmente, sempre no mês de janeiro. A regra está em vigor desde 2009, ano em que o valor de R$ 950,00 foi o ponto de partida para o reajuste anual. 

O Ministério da Educação (MEC) afirma que utiliza o crescimento do valor anual mínimo por aluno como base para o reajuste do piso dos professores. Com isso, é utilizada a variação observada nos dois exercícios anteriores à data em que a atualização deve ocorrer. Ainda de acordo com o MEC, o valor mínimo por aluno é estipulado com base em estimativas anuais das receitas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Para 2019, o valor chegou a R$ 3.440,29, contra R$ 3.048,73 em 2018.